Membros do Conselho de ética são suspeitos de irregularidades

A demora para a cassação do Presidente do Senado, José Sarney, pode ter uma explicação. Segundo levantamento de um jornal, cerca de 70% dos membros do Conselho de Ética estão respondendo inquéritos autorizados pelo Supremo Tribunal Federal ( STF), ou são réus em ações penais e suspeitos de envolvimento com nepotismo nos últimos anos.

De acordo com o investigado pelo jornal pelo menos 20 integrantes do Conselho de Ética  são ligados a escândalos recentes.

Acusado de ligação com boletins administrativos sigilosos, nomeação de parentes, bem como de desvio de recursos da Petrobrás, José Sarney deverá ter o seu destino decretado pela abertura de processo de cassação. Mas tudo depende da decisão dos senadores. Os mesmos que são suspeitos de irregularidades.

Postar Comentário