Proposta visa gerar dedução no IR para gastos com curadores de idosos

A CAS (Comissão de Assuntos Sociais), do Senado Federal, aprovou o projeto do senador Waldemir Moka, que objetiva gerar deduções ao IR (Imposto de Renda) por conta de gastos gerados com curadores de idosos. Antes de ir à Câmara dos Deputados a matéria precisa ganhar aprovação na CAE (Comissão de Assuntos Econômicos).

De acordo com palavras oficiais no texto de Moka, cresce a expectativa de vida dos brasileiros, fato que faz aumentar as contratações de curadores especialistas em cuidar de idosos. O senador que também trabalha como Médico tem propriedade acadêmica para apontar maiores vantagens no cuidado domiciliar do que na internação em hospitais ou casas de repouso.

Gastos elevados com cuidados em casa trazem chances de pesarem no orçamento familiar. Despesas com dentistas, médicos, remédios e outros gastos de saúde se fazem presentes nas regras dedutíveis do IR, menos a quantia gasta para pagar curadores. Moka acredita que se a proposta for aceita e transformada em lei vai aliviar os gastos com idosos às famílias brasileiras.

Senador Paulo Davim, relator do projeto, aprovou e destacou com ênfase a importância que a classe profissional têm na vida dos idosos, ao levar em conta que curadores trabalham para evitar com que aconteçam quedas, facilitar a alimentação, entre outras atividades para o público mais velho ter vida digna.

Davim disse que a medida vai trazer benefícios inclusive aos cofres públicos, ao levar em conta que curadores evitam com que idosos tenham quedas e ocupem por longo tempo os leitos da UTI, por exemplo. A matéria deve ter voto favorável por favorecer o estado, economizar dinheiro e valorizar idosos.

A senadora Ana Rita aponta que além de cuidados médicos básicos proporcionados por curadores, também há o aspecto da companhia aos idosos, visto que os familiares trabalham por maior tempo enquanto que idoso tem mais período de lazer, sozinhos em casa.

Por Renato Duarte Plantier

Postar Comentário