Arrecadação de impostos chegou a R$ 90,72 bilhões em setembro de 2014

A arrecadação de impostos brasileira bateu um novo recorde no mês de setembro deste ano, segundo dados informados pela Secretaria da Receita Federal nesta última quarta-feira, 29 de outubro.

O montante arrecadado em setembro de 2013 foi de R$ 89,89 bilhões, enquanto em 2014, houve um aumento no mesmo mês de 0,92% e a arrecadação chegou aos R$ 90,72 bilhões para os cofres do governo. Este recorde em arrecadação no mês de setembro foi obtido graças a uma ajuda extra do programa Refis da Copa (programa de recuperação fiscal de empresas e pessoas físicas para o parcelamento das dívidas com o governo), que só no mês passado contribuiu com R$ 1,63 bilhão.

Para que o governo alcançasse esta marca, foi necessário isentar de impostos produtos da chamada linha branca (geladeira, máquina de lavar roupa e tanquinho) e também dar descontos em móveis, carros e motos novas (isenção de IPI), para que houvesse um aquecimento das vendas em geral, mesmo gerando um ganho menor para o governo.

Até o final do mês setembro, de acordo com os dados divulgados pela Receita, o total arrecadado já soma os R$ 862,5 bilhões, uma alta de 0,67% em relação a 2013. Mas, se não fossem os valores de parcelamento de dívidas dos meses de agosto e setembro pelo programa Refil da Copa, esta arrecadação de janeiro a setembro de 2014 seria menor em 0,33%.

Mesmo com a injeção destes recursos extras, é provável que a arrecadação deste ano não ultrapasse 1% em relação ao ano anterior, segundo o secretário-adjunto da Receita Federal, Luiz Fernando Teixeira Nunes. E o motivo desta fraca arrecadação, está ligado ao atual momento econômico do país, que constantemente vem sofrendo com impactos negativos como a baixa atividade econômica e a reduções de impostos, que consequentemente influem na captação de recursos para o governo.

Por André F.C.

Postar Comentário