Pago o último lote de restituição do Imposto de Renda 2014

O último lote de restituição do imposto de renda de 2014 começou a ser pago na segunda-feira, dia 15 de dezembro, pela Receita Federal. Ao todo, serão restituídos R$ 1,6 bilhão para 1,42 milhões de contribuintes.

Outros 6 lotes já foram pagos este ano (período de junho a novembro) e, caso você tenha ficado fora destes lotes e também deste último, é bem provável que sua declaração tenha sido retida para averiguações devido a pendências sobre as informações prestadas, ou seja, você caiu na malha fina.

De acordo com informações da Receita Federal, neste ano, 937.900 contribuintes foram pegos na malha fina do leão e precisam verificar novamente alguma das informações prestadas ao Imposto de Renda.

O número de declarações que apresentaram problemas em 2014 foi bem superior aos dois últimos anos. Em 2013 foram 711.309 contribuintes que tiveram suas declarações retidas e em 2012 o número de documentos retidos chegou a 604.299 declarações.

A maior parte destas retenções, ao todo 52%, está ligada a contradições na apresentação dos ganhos destes contribuintes. A segunda maior causa de acordo com o Fisco, são as incoerências apresentadas nos pagamentos com despesas médicas, representando 20% do total das 937.900 declarações retidas.

O contribuinte pode conferir quais são as informações pendentes ou que estejam deficientes em sua declaração, acessando o Centro Virtual de Atendimento (e-CAC), no site da Receita Federal.

Após o conhecimento das incoerências encontradas em sua declaração anual, o contribuinte deverá enviar ao Fisco uma declaração retificada, para poder sair da malha fina da Receita. Logo após nova análise e, caso seja aprovada a retificação realizada, se o contribuinte tiver direito a receber a restituição, seu nome será incluso nos próximos lotes residuais do Imposto de Renda, que podem ser pagos a partir de janeiro.

Você pode verificar se sua restituição está disponível acessando o site da Receita Federal, ou ligando para o telefone 146 – opção 3, ou ainda você pode acessar o aplicativo da Receita nos dispositivos móveis (smartphones e tablets).

Por André F.C.

Foto: divulgação

Postar Comentário