Grécia deve resolver sua situação com os credores

Reunião foi realizada recentemente para que Atenas firmasse um acordo com os credores a fim de planejar reformulações que possam possibilitar à Grécia a ter auxílio financeiro novamente.

A zona do euro mostrou indisposição recentemente com a demora grega nas comercializações com os credores e solicitou à Grécia que as intensifique, no fim da reunião que acabou com a ausência de acordo em Riga.

A reunião realizada atualmente com os ministros das Finanças da zona do euro na Letônia possuía como meta firmar um acordo de Atenas com os credores a respeito do planejamento de reformulações que iria possibilitar à Grécia retornar a ter auxílio financeiro que foi suspenso desde agosto. Esta suspensão é de última instância, de 7,2 bilhões de euros, que complementa os empréstimos que o território grego teve desde 2010 de 240 bilhões de euros.

Os participantes das economias da zona do euro verificaram que aconteceram alguns progressos, entretanto, as distinções permanecem sendo bastante significativas a respeito da lista de reformulações que o governo de esquerda da Grécia se propôs a mostrar para conseguir o apoio dos credores. Os credores de Atenas intensificaram as reuniões nos dias recentes, com nível técnico e político. O território grego poderá pagar em 12 de maio cerca de 950 milhões de euros ao FMI, e após isso pagar remunerações aos funcionários da mesma forma como as aposentadorias no fim do mês.

Para isso, é acrescentado o aviso do Banco Central Europeu, que não desconsidera verificar mais uma vez a situação da possibilidade dos recursos aos bancos da Grécia, uma forma importante para o refinanciamento do território grego.

A demonstração exclusiva de progresso foi proveniente de Atenas, onde o governo informou que terminou a privatização das apostas típicas, começada no governo antecedente. É a privatização pioneira realizada pelo governo de esquerda. Alexis Tsipras é bastante reservado na cessão de ativos públicos a valores que avalia serem bem inferiores, entretanto, está com uma pressão pelos credores do território grego. Os compromissos da campanha de Tsipras são um dos assuntos de atrito de Atenas com os credores.

Por Felipe Couto de Oliveira

Zona do euro

Uma resposta para "Grécia deve resolver sua situação com os credores"

  1. Ola, alguem pode me informar onde foi parar esses 240 bilhoes dos ultimos 10 a 20 anos que foram pegos emprestados ? Por aquilo que entendi, a Grécia pagou ao funcionalismo público todo esse dinheiro e agora não tem como pagar e dificilmente pagará, isso acontece quando uma boa parcela da população é aposentada e funcionários públicos, investir em salários e pensões nunca foi o caminho.

Postar Comentário